Sociedade Recreativa, Desportiva e Familiar de S. João das Lampas

Sociedade Recreativa, Desportiva e Familiar de S. João das Lampas

A actual Sociedade Recreativa, Desportiva e Familiar de S. João das Lampas (designação que resulta da união da Sociedade Recreativa e Familiar de S. João das Lampas com o Futebol Clube Sanjoanense, ocorrida em 1976) tem uma longa história, tendo surgido em 29 de Julho de 1911, pela vontade de quatro homens cheios de garra:

• João Duarte de Castro
• José Maximino Cameira de Barros
• Benvindo Almeida Freire
• Pedro José Miguel de Sousa Nobre

Foram lutadores incansáveis. Angariaram os primeiros fundos para a formação de uma banda instrumental e formaram a primeira sociedade de recreio nesta terra, a que deram o nome de Filarmónica União de S. João das Lampas. Em 8 de Outubro de 1913, o nome desta agremiação foi mudado para Sociedade Filarmónica e Recreio de S. João das Lampas.

A sua actividade desenrolou-se no edifício onde hoje funciona o Infantário do Centro Social e Paroquial de S. João das Lampas, na Rua 1º de Maio, nº 128. Em 16 de Janeiro de 1927, por falta de recursos teve de suspender as actividades que vinha desenvolvendo, mas em Março de 1929, inconformados com a inactividade, voltou a organizar-se através de uma direcção formada pelos senhores:

• Reverendo António Fernandes Monteiro
• José Duarte da Silva Costa 
• José Domingos Frade

Ainda sob a alçada desta direcção, em 20 de Junho de 1930, a colectividade passou a designar-se Sociedade Musical 1º de Dezembro, uma vez que a sua 1ª festa após a reorganização, foi efectuada nesse dia. Até 1931, a sociedade funcionou em instalações que hoje é uma casa de habitação, situada no Largo da Padaria, nº 3, onde mais tarde veio a funcionar o posto médico. Nesta data, e pelas mesmas razões, ocorre nova interrupção, até ressurgir em 12 de Janeiro de 1942, data que tem sido referida como a da sua fundação.

Neste relançamento, revelou-se determinante o papel dos senhores:

• João Duarte de Castro
• Bernardino Paulo Nunes
• Elisiário dos Santos Camacho
• Narciso Duarte de Almeida
• João Domingos Frade

Passou a Colectividade a designar-se por Grupo Desportivo e Recreativo de S. João das Lampas, tendo a sua sede voltado a instalar-se na R. 1º de Maio, nº 128. Por insuficiência do número de membros da direcção, foi decidido eleger uma comissão auxiliar constituída pelos senhores:

• José Vicente Jerónimo
• Arnaldo d’Almeida Freire
• José Maceira Neves
• António José Justino
• José Luiz Batista

Dada a expansão do Grupo foi decidido fazer obras para ampliação das instalações, as quais tiveram início em 1944, altura em que o nome da Colectividade é alterado para Grupo Recreativo e Familiar de S. João das Lampas (em Organização). O proprietário da casa autorizou as obras e contribuíu para as mesmas, concedendo dois anos sem pagamento da renda mensal de 25$00. As instalações melhoradas foram inauguradas com grande festa em 31 de Março de 1945, em que colaborou com a Filarmónica Assaforense.

A 8 de Setembro de 1948, houve nova mudança de nome para Sociedade Recreativa e Familiar de S. João das Lampas que contava, na altura com cerca de 600 sócios. O primeiro estandarte comprado saiu pela 1ª vez, no Cortejo de Oferendas de Sintra, em 19 de Abril de 1948, onde participou, com brilhantismo, a Filarmónica e o Rancho Folclórico da Colectividade.

Na década de 50 tornou-se notória a falta de espaço, pelo que se pensou em construir uma sede própria. Para o efeito foi criada uma Comissão Pró-Sede, constituída pelos seguintes elementos:

• Arnaldo Almeida Freire
• António José Justino
• José Vicente Jerónimo,
• Manuel da Silva Rodrigues
• José Augusto Leonardo Júnior
• José Maceira Neves
• Elisiário dos Santos Camacho
• Duarte Jerónimo
• Francisco da Costa Duarte
• José Luís Batista
• João Dias Romão
• Joaquim Baleia
• Policarpo Domingos Frade

A Comissão assim constituída, contou com o apoio da grande movimento popular em prol da iniciativa, tendo a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal colaboraram activamente no empreendimento, desde a cedência do terreno até à feitura do projecto, da autoria do Sr. Consiglieri Martins, dedicado desenhador da Câmara Municipal. A escassez de meios monetários para a realização da obra, levou a que se recorresse à imaginação para recolher fundos, tendo-se levado a cabo algumas festas, com destaque para as representações teatrais e o cortejo de oferendas que, pela sua importância são marcos históricos da vida desta Sociedade. Embora não concluída, a sede própria proporcionava já condições para a realização de algumas festas. Assim, no Carnaval de 1955, realizou-se a primeira manifestação recreativa no edifício da sede própria.

Para que os sócios pudessem começar a desfrutar das novas instalações foi decidido adquirir um grupo eléctrico que fornecesse energia à colectividade, pois ainda não havia electricidade na freguesia. Adquiriu-se também um aparelho de televisão que, por ser novidade, motivou a abertura diária da sede, para que os sócios beneficiassem dessa inovação.

Em 23 Junho de 1957, véspera do S. João, a sede própria, foi finalmente inaugurada, em cerimónia que se que contou com a participação das entidades oficiais e de outros ilustres representantes do nosso Concelho. A partir de 1970 começaram a ser envidados esforços para a ampliação da Sociedade, para o lado sul, para café e sala de jogos. Primeiro a ampliação limitou-se ao rés do chão, tendo o café sido inaugurado em 1981. Posteriormente, fizeram-se as obras do 1º andar para uma sala de jogos. Em 1990, o café, até então situado no rés do chão, passou para o 1º andar, e o espaço que ocupava foi alugado à Caixa de Crédito Agrícola, para que S. João das Lampas pudesse usufruir de um banco e, ao mesmo tempo, esse aluguer constituísse uma importante fonte de rendimento para a Sociedade, o que durou até 2008.

É tempo de rendermos homenagem a todos aqueles que, ao longo de 100 anos, se empenharam em dar vida a esta Casa, que é um honroso património colectivo da gente desta terra e durante o mês de Julho de 2011, um conjunto de actividades desenvolvidas ao longo do mês, assinalaram a passagem do centenário de uma das mais antigas colectividades do Concelho de Sintra. Em 5 de Outubro de 2011, a Câmara Municipal de Sintra, na cerimónia comemorativa da implantação da República, a Medalha de Mérito Municipal Grau Ouro –Classe de Cultura.